Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto
Click to this video!

VIM SÓ DEVOLVER SEU CD

Dormindo, o celular toca, levanto a cabeça confusa, decorrem-se alguns segundos até eu conseguir estender a mão e atender o aparelho.



- Alô. –diz minha voz sonolenta



-Prima, te acordei? –ouço do outro lado.



Meu primo. De repente me sinto completamente desperta.



-Mais ou menos, mas já está tarde mesmo.



-Queria saber se tudo bem eu passar aí pra te devolver o CD.



-Ah, tudo bem, lágico, pode vir.



-Então daqui a pouco to ai. Beijos.



-Beijos.



Desligo. Emprestara um CD para meu primo na véspera e agora ele vinha me devolver. Corri para o banheiro, lavei o rosto, me olhei no espelho. O sono ainda habitva meus olhos, rosto inchado, amassado, mas até ele chegar passaria. Vestia uma camisola de cetim preta bastante curta, uma renda no decote . Achei-a perfeita. Percorri a casa, ninguém.



A campainha. Abri. Ele subiu. Estava de bermuda, camiseta e tenis, um tanto quanto suado, barba por fazer e o cabelo mais longo que o habitual, quase a bater-lhe nos ombros.



-Prima! –ele me abraçou.



Abracei-o de volta passando os braços em torno de seu pescoço o que me obrigou a me pôr nas pontas dos pés levantando a barra da camisola a ponto de revelar minha minuscula calcinha.



Conduzi-o até meu quarto, ele retirou a mochila e de dentro dela o CD.



Peguei-o a fim de guardar e, conscientemente, me enclinei em sua frente. Eu de costas, a calcinha a mostra. Quando levantei percebi que ele se colocara atrás de mim. Lentamente me virei e ergui a cabeça.



Ele me olhava, um olhar selvagem de desejo, de tesão.



Abraçou-me percorrendo as mãos em minhas coxas, em minha bunda e continuando por minhas costas sob a camisola. Nossos lábios se encontraram, avassaladoramente, ávidos um pelo outro, úmidos de desejo. Um beijo voluptuoso.



-Você não me escapa, vai ser toda minha. –disse ele afastando-nos subtamente.



-Sou sua, faça de mim o que quiser.



Me virou de costas, seu membro a fazer pressão contra minha bunda, uma de suas mãos escorrega pelo meu decote e segura firme um de meus peitos enquanto a outra entra pela calcinha. Sinto seus lábios em minha nuca, meus ombros, pescoço. Sinto-me arrepiar, tremer de tesão e molhar-me inteiramente. Seus dedos percorrem demoradamente meus grandes e pequenos lábios até estacarem no clitáris. Suavemente o acariciam, quase não me aguento em pé.



Ele interrompe e me puxa, se posiciona de costas para uma cadeira e me coloca de frente para si. Me beijando selvagemente ergue minha perna e a apoia em cima da cadeira. Retira seu membro da bermuda, duro, latejando de prazer. Olho-o pela primeira vez, grande, grosso, perfeito e inteiramente meu. Afasta minha calcinha para o lado e roça seu pau em minha buceta, meu clitáris parece prestes a esplodir de tesão. Sem interromper a movimentação ele se aproxima de meu ouvido e sussurra:



-Vem ca minha puta, você não me prometeu o que eu quisesse?



-Prometi, sou sua.



-Vem aqui então.



Empurrou minha cabeça em direção a seu pau olhei-o, o desejo o dominava. Beijei-lhe a boca com ardor e imediatamente me pus de joelhos.



Seu membro entrava e saía de minha boca, ele segurava com força meus cabelos forçando-me a engoli-lo por inteiro. Apás alguns segundos paro e fico roçando minha lingua suavemente em sua cabeça. Passo-a por toda extensão peniana, detenho-me em suas bolas, chupo cada uma delas cuidadosamente, meu primo geme de tesão, tira a camiseta e a joga em um canto do quarto. Quando engulo-o novamente ele me faz parar, me levanta pelos braços, desliza a mão pelo meu corpo, peitos, costas, bunda e coxas. Põe minha calcinha para o lado e novamente se roça em minha buceta. Não podendo mais esperar, me penetra. Quase desfaleço em seus braços tamanho é o tesão. A cada estocada gemo mais alto. Enquanto uma mão pressiona minha bunda com firmeza, a outra me masturba rapidamente. Beijo-o, mordo-o, sugo-o, minhas mãos percorrem suas costas, bunda, nuca e ombros arranhando-o. Ele geme de tesão, estamos ambos tomados pelo extase total. Não podendo mais me segurar forço sua mão em meu clitáris avisando:



-Vou gozar



Ele me pressiona com mais força e me abandono ao prazer. Tremo violentamente até ficar completamente desfalecida em seus braços. Quando recupero as forças me vejo deitada na cama, ele retirando minha calcinha, minha camisola, me deixando completamente nua. Se livra do que ainda resta de sua roupa também, contemplo-o nú pela primeira vez em minha vida. Seu abdome definido, sua bunda redonda, perfeita, as coxas grossas e o braço musculoso. Contemplo embasbacada, tudo aquilo é meu, apenas meu por um momento.



Ele se posiciona de quatro, de costas para mim, abaixa o tronco e me toca com sua língua. Vejo toda a beleza de seu pau pendendo diante dos meus olhos, não me resta outra coisa a fazer além de abocanhar aquela maravilha. Enquanto o chupo com vontade sua lingua passeia suavemente por mim. Gemo e pressiono meu quadril contra sua boca. Ele então me chupa com vontade. Conforme meu tesão aumenta aumento o rítmo de minhas chupadas, sinto-o com dificuldades para se manter firme sob os joelhos. Intensifico o rítmo e percebo que ele faz o mesmo, estou novamente prestes a gozar, sinto seu pau latejando em minha boca, forço-me contra sua boca e nariz, sem conseguir segurar gozamos juntos, um na boca do outro.



Sua porra quente escorre pelo meu queixo me lambuzando inteira, engulo o que ainda resta em minha boca. Ele se vira, deita ao meu lado e me beija. Subo em cima dele e beijo-lhe enquanto rebolo por cima de seu pau. Em pouco tempo vejo que ele está novamente acordado. De cácoras em cima de seu pau me levanto o suficiente para permitir sua entrada em mim. Ele geme, eu cavalgo. Rapidamente faço-o entrar e sair de mim. Sinto meu clitáris contra sua barriga, o atrito me enlouquece, sua cara de tesão me inebria. Levanto e deito de costas oferecendo-me toda de pernas abertas. Ele me penetra com força, cada vez mais rapido, vou enlouquecendo aos poucos. Beija minha boca, segura meu cabelo com força e geme:



-Vou te comer todinha minha puta, hoje você é minha, sá minha.



Me sinto tão tonta de prazer que nem responder não posso, apenas gemo e peço:



-Vem, não para, mais rápido.



E ele me obedece, cada vez mais rápido e forte ele penetra me enlouquecendo. Apás alguns minutos ele sai e me vira me colocando de quatro. Arrebito a bunda me colocando receptiva. Me pegando pelo quadril mais uma vez ele me penetra com força. Sinto-me completamente preenchida com seu pau, o vai e vem me enlouquece. Enquanto uma mão puxa meus cabelos para trás a outra me masturba deliciosamente, seus dedos se esfregam em mim proporcionando-me um prazer indescritível. Mais uma vez me sinto a ponto de gozar, mas ele fala antes:



-Ai, você me enlouquece demais, não aguento mais, vou gozar!



E mais uma vez gozamos juntos e desfalecemos ambos sobre a cama. Não tenho mais forças nem para me levantar, ficamos alguns minutos deitados, respiração ofegante. Quando consegue ele se levanta, em silêncio torna a pôr a roupa. Eu ainda desnuda, deitada de bruços na cama, o rosto de lado, a bochecha direita a mostra. Ele vem, me beija e fala.



-É isso, vim sá devolver seu CD, tenho que ir, tchau prima querida!



Ele finge que nada aconteceu, mas seus olhos o traem, o quarto cheira a sexo recém-feito. Levanto-me e volto a vestir a camisola sem calcinha mesmo, sá para acompanha-lo até a porta. Pego-o pela mão conduzindo-o até a porta. Nos despedimos, um abraço, um beijo na bochecha e um olhar, cheio de cumplicidade. Ele se vira e sem olhar para trás se encaminha para a porta.



Quando minha mãe chega em casa ainda durmo, um sono merecido. A calcinha continua no chão.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Conto erotico gay de calcinha para coroascontos filha praia esposacontogayporno conto porn dando pro comandantecontos eróticos chupando os peitos da minha sogra e f****** elacontos eroticos frentistaArrombaram minha namoradaContos erotico com o meu avo na fazendacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos erótico novinha evangélica cetar sem calcinha no colo do crente que tem um pau enormeContos porno um gigante quase coube no meu cuzinhonegros de Pelotas mais bem dotados de pêniscontos eroticos sobre viadinho famintoconto comendo tiaConto de puta metendo com todos no posto de gasolinacontos eróticos, eu, minha esposa puta e nossos vizinhosComtos heroticos da cunhadinha viviane dando pro cunhado reinaldoanão transando com jamaisconto minha madrasta me transformou em mulherDei o cuzinho quando já era coroa contos eróticosContos eroticos dei a minha buceta para negroContos eroticos trans cunhadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentepapai me fudeu gostoso e eu gozei no cacete delContos eróticos da minha mãeminha esposa escolheu vibradorcontos eroticos meu irmao e meu amante incestojanaina vem senta na picacontos eróticos sobre prima bucetudacontosgay no vestiarioconto erotico minhas prima se apaixonou por mimcontos eroticos minha mulher me castiga apertando minhas bolasconto enteada sem calcinhacontos eroticos de sexo de toda familaChuva dourada entre pai e filha contos eróticosmulher jujuba de vestidinho mostrando o rabaonoiva fabiana cu pra 5Casa dos contos eroticos gay amarrade e emrabado por quatro amigos taradoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecomo chupar o pau do meu marido e fazer ele gozar lejeiro e gemer mais que tudocontos eroticos com tia cabeluda nua em casade da semana santaempresaria casada safadas contos eróticos reaiscontos eróticos dupla penetração anal em travestis zoofiliaMostre minha rola cabeçuda para o cone e falei que ia comer sua mulher quando eróticossogra pegou eu no fraga batendo polheta e depois trazamoscontos eroticos velhos e novinhas santinhasContos erotico.esposa fodeu o maridomulhe vais boguete em bebudocontos eroticos meu amigo comeu minha mulher e minha filhaassisti vídeo porno de mulher de chortinho curto depano fino ela dentro de casaescrava sexual contosconto erotico dopei minha esposa pra ser corno23cm e um czino virgempapai no cuzinho de mamãe contoscontos eroticos arrombando a gordaxoxotas di quatro impinadas fotoscontos eroticoso cu da cadelinhacalcinha usada contos eroticospapai Me. comeu Contoscontos eroticos dormi e dei rola primameu filho me estrupou eu me tornei sua fêmea sexo incesto contos vídeoscontos de incesto eu comi a bunda da minha mãe taboo sexominha filha camila contos eroticoscontos eroticos machuquei minha primaWww.garotinhasafada.comComendo cu de mulher dormindo conto eroticocontos eroticos minha sogra de calcinha rendacontos eroticos gays com vaqueiroscontos eróticos de gay sendo comido pelo sobrinhocom a spgra e a esposa nudismocontos eroticos pegano amiga da primaconto viado estupradocontos eroticos arrombando a gordaContos eroticos9aninhosEstourei o cu da crente na viagem contosConto erótico Sempre fui mas ele descobriucunhado insistiu ate da uma rapidinha com a cunhadaContos quero goza muito na minha filha quando ela nasceconto erotico titio comendo meu cuzinhoescrava contos eroticosconto cheiradorRealizei a fantasia do meu colega e eu virei cornomulhe vais boguete em bebudoconto erotico carona com o sobrinhoLer uma istoria erotica de sexo de cumadre dando o cu pro cunpadreaposta vestido de mulher contocontos transando com a grávidafui almoçar mas a cunhada e ela me deu foi a buceta so nos dois em casacontos da casa eroticos de mulheres tendos os cachorros ou lobos lambendo suas calcinhas e fodendo elascontos eroticos de putaria bi no carnavalfilme porno tia gostosa faz uma viajem dormi com saudade do sobrinho da cucontos eróticos da quarta-feira de Cinzascontos de menina seduzidas por vizinhis roludos  Marilia e Juliana estavam mais uma vez fr ente a frente para uma dolorosa batalha. Ambas traziam nos corpos as marcas feitas pela outra em combates violentos e sangrentos. Marilia vestia tão somente uma minúscula tanga branca fio dental. Juliana uma  contos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotados