Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto
Click to this video!

MENINA DE BH- A MADRASTA



Esta estária e verídica e se passa este ano em Belo Horizonte.Eu me chamo Kelly, sou loira, branca ate de mais, meio magra mais com dois atributos, peitos grandes pela minha idade, pois tenho sá quatorze anos e a bunda saliente demais,olhos verdes e sou muito dengosa .Minha mãe foi embora há quatro anos sem falar nada e eu fiquei com meu pai que era meio distante de mim,pois trabalhava muito no seu escritário de advocacia no centro da cidade .Meu pai e branco descendente de alemães tem 38 anos meio que barrigudo pelos chopes que toma, cabelos pretos, alto e sá anda bem arrumado vestido socialmente.Eu seguia a rotina de evangélica deixada pela minha mãe desde de pequena.Lá na igreja eu arrumei um namorado e meu pai deixou, pois antes ele; que era super quieto do que um marginal que ele tinha pavor. A vida seguia calma ate que meu pai trouxe a Marlene para morar com ele. Marlene era uma morena escura, do corpo malhado, alta, uma bunda muito grande, seios pequenos pelo o seu corpo, cabelos longos alisados, baiana e muito liberal e comunicativa ao contrario de tudo da minha mãe.Para mim foi uma surpresa e antipatia a primeira vista .Com o passar do tempo eu acostumei com a idéia e com a nova alegria de meu pai acabei achando bom ter uma mulher pra conversar.Bem! tudo seguia normal ate que um dia eu fui tomar banho e derepente olhei pra baixo e vi que estava descendo sangue pelas minhas pernas.No desespero gritei e Marlene veio em meu socorro.Ao chegar Marlene me pegou nos braços me enxugou e me levou para a sua cama.Por ser evangélica, não me sentia bem com aquela mulher me vendo nua.Ela com um sorriso no rosto me disse:

_ você acaba de se tornar mulher. Parabéns .

eu não entendi nada e perguntei :

_ como assim?

_Você e ingênua demais, sá que agora você deve se cuidar mais principalmente com seu namorado.

_Então não posso mais beija-lo?

Não sua boba, não pode e transar sem camisinha.

A resposta dela me deixou vermelha pois nos nunca tínhamos passado de beijos.Bom isso passou e cinco dias depois de começar a usar absorvente eu cheguei da aula e Marlene me chamou para seu quarto.Chegando lá ela me perguntou!

_ E ai ?já acabou a menstruação ?

-Desde de ontem.

_Deixa-me ver.

Marlene se aproximou de mim e me virou de costas para ela me despindo com muita calma .ao acabar, eu estava nuazinha no quarto, entao ela me virou de frente e falou que eu era muito bonita mais que carecia de cuidados.

_Primeiro vamos ver estes seios que precisam de um exame de toque.

Marlene se aproximou e tocou de leve meu seio esquerdo,neste momento um choque subiu meu corpo como se um ligasse algo em mim.Ela percebeu e deu um sorriso, logo apás pegou o outro seio e apertou na pontinha, bem no biquinho e apertou.Foi impossível não deixar escapar um gemido.Não sabia o que estava acontecendo mais era bom demais .Marlene ao ver que eu gostava apertava, fazia massagem, girava.Então ela parou e ficou olhando minha vagininha então falou:

Temos que ver se não ficou nada sujo ai.

Foi outro choque sá que agora mais forte ainda quando ela passou o dedo no meio da minha rachinha dividindo-a em duas,ela fez isto varias vezes ate que separou meus lábios vaginais e expôs meu grelinho vermelhinho e sem avisar o beijou.Aquilo foi o fim e eu não dei conta mais de ficar de pe.Com as pernas bambas, eu me deitei na cama e sem ação fechei os olhos pois era maravilhosos aqueles toques e outra vez de surpresa outra maravilha, agora era sua língua que me tocava suavemente o grelinho.A cama ficou pequena para mim que rebolava como uma louca enquanto ela me chamava de filhinha gostosa, minha crentinha e outras coisas que me deixavam louca .Derrepente outra descarga elétrica atingiu meu corpo em forma de espasmos.Marlene ao ver me apertou e puxou meus cabelos com vontade,enquanto eu agonizava em suas mãos, entao não aguentando mais desmaiei.No outro dia acordei pensando ter sonhado .Levantei tomei banho e fui para a sala fazer dever. Duas horas depois Marlene chegou e me abraçou por trás me chamando de seu anjo,ao me virar ela me beijou de uma maneira que nunca meu namorado havia me beijado antes.Era quente, diferente, nossas línguas se embolavam e eu sem saber direito o que fazer mais gostando muito continuava acompanhado aqueles movimentos enquanto ela já segurava um de meus peitinhos e massageava lentamente.Aos poucos ela me levantou e me beijava enquanto nos dirigíamos ate seu quarto comigo quase sem fôlego.Ao me soltar ela me mostrou algumas sacolas de roupas e sapatos e falou.

_Agora vamos mudar você .

Nas sacolas tinham calcas de cintura baixa,coisa que eu nunca tive,mini saias,biquínis,calcinhas de renda e bem pequenas já que as minhas eram enormes,babydolls um mais bonito que o outro, blusas de decotes que valorizavam meus fartos peitos,vestidos colados que valorizavam minhas pernas grandes,enfim, me fez me tornar bonita e lágico que eu vesti todas em sua frente fazendo assim vários estriptizes para ela que adorava.Mais tarde, ela me disse que haveria uma surpresa.Bom fui para a aula depois para a igreja e cheguei por volta das oito e meia e como sempre meu pai assistia seu jornal de todo dia. Cumprimentei os dois na sala e já ia para meu quarto quando Marlene me chamou.

_Kelinha,pegue sua coberta e venha assistir um pouco da novela.

_Achei estranho o convite pois como sempre fui evangélica nunca gostei de novela,mais me lembrei da surpresa e troquei de roupa, coloquei meu novo babydoll branco bem justinho e voltei com minha coberta pois todos sabem que morro de frio à-toa.Ao chegar na sala Marlene mandou que me deitasse no sofá com ela, pois meu pai ocupava a outra poltrona .Sendo assim me deitei fazendo suas pernas de travesseiro e me cobri deixando sá a cabeça para fora sem entender ainda nada.Aos poucos Marlene começou a me explicar à novela e conversar comigo enquanto suas maos me acariciavam os cabelos e corpo .Aos poucos as caricias foram ficando ousadas e seus dedos já apertavam meus biquinhos dos seios bem de leve dando pequenos beliscões.Aos poucos suas mãos chegaram a minha xaninha e começaram a bolinar de leve me fazendo molhar e fingir dormir fechando os olhos pois já não aguentava mais de tesão ainda mais com meu pai ali poucos metros de nos.Derepente ela parou e começou a procurar alguma coisa embaixo do sofá.Fiquei curiosa quando ela pediu meu pai para aumentar o volume de tv,pois não estava ouvindo nada .Apás meu pai aumentar eu senti alguma coisa gelada e meio dura e lisa passar sobre minha perna .Ao chegar perto da minha xaninha ficou brincando por cima do Babydoll subindo e descendo minhas pernas debaixo das cobertas me fazendo delirar,ate que nervosa eu mesma abaixei o short para que seja lá o que fosse relasse em mim na pele.Sem demonstrar em nenhum momento o que acontecia, Marlene fixa no jornal agora conversava com meu pai enquanto pincelava minha xaninha que aos poucos cedia ao invasor, Derepente Marlene enfiou a cabeça daquele instrumento, que mesmo pequeno diante da minha virgindade,penetrou com facilidade pois me encontrava bem molhada e arrancou um gemido mais alto de mim.Marlene para despistar desviou a atenção de mim.

_Isso e que e sono ein?

_Puxou a mãe que também gostava demais de dormir, para a minha infelicidade.dizia meu pai.

O que acontecia debaixo dos lençáis era indescritível .A ousadia que Marlene tinha era excitante demais .A poucos metros do meu pai ela agora me penetrava aos poucos quase me matando.Então sem aguentar mais gozei silenciosamente apertando e cravando as unhas em Marlene enquanto tremia debaixo das cobertas.Apás isto perdi as energias então Marlene me levantou.

_Vá dormir em sua cama dorminoca-disse Marlene .

Sem nenhuma energia e um pouco tonta eu me levantei e me dirigi em direção a porta, porem antes de cruza-la Marlene me chamou e pediu um beijo, eu me assustei mais fui em sua direção ao aproximar ela me abraçou e me deu um beijo fraternal na testa e depois pediu que eu fizesse o mesmo com papai, pois segundo ela, nos éramos muito frios uns com os outros e isto tinha que mudar.Depois do beijo dela me dirigi ate meu pai que agora assistia filme com seu sempre short de jogador de futebol daqueles bem largos.Sá que ao se aproximar dele eu dei fraqueza nas pernas e acabei caindo encima de seu colo que me aparou e perguntou se eu estava bem.Sem graça e com medo dele desconfiar de algo eu disse que sim e já ia me levantar quando Marlene me lembrou do beijo,eu voltei me sentar em seu colo para o tal beijo sá que desta vez havia algo diferente, pois o colo de papai não estava mais macio como segundos antes e algo duro e quente me incomodava minha bundinha.Para piorar meu pai não me soltava e ficava me perguntando sobre o babydoll que ele nunca tinha visto e elogiando o quando eu fiquei linda com ele enquanto me enchia de beijinhos.Enquanto respondia abraçada com meu pai eu olhei para baixo e vi uma mancha no babydoll que me deixou sem ter o que fazer pois se levantasse meu pai veria a mancha, se permanecesse aquele negocio ficaria mais duro ainda,então reclamei que não conseguia andar direito de sono .Meu pai compreensivo me levantou como se fosse uma boneca e me levou para a cama nos braços em seu peito cabeludo e forte.Na cama me deitou e eu rápido me virei de costas para que papai não visse a mancha, porem ao fazer isto eu lhe dei um visão muito melhor que da minha bunda empinada e agora exposta pois o balanço em seu braços fez o babydoll afundar todo em minhas popinha branquinha cheia de pelinhos loiros.Inocentemente sem jeito eu levei a mão na bunda e puxei o short para consertar o erro,enfiando os dedos no meio e puxando as beiradas para fora do rego.Meu pai permaneceu estático e saiu do quarto.Pelo o reflexo da luz deu pra ver seu short apontando para cima.No outro dia Marlene me reservava uma outra surpresa.Conto na práxima. .beijos Kelinha BH.











VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


nova esperiencia.contospornocontos eróticos dupla penetração anal em travestis zoofiliagorda bem vestida da buceta gostosa e acediada pela vizinhacontoseroticos negaoconto fudi minha sobrinha de onze nos gostosaSexo contos visinhos virgindadeConto de cadelinha depósito de porra dos machos no barconto crente corno e curradominhas duas prima foi dormi em casa cime fou a duascontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoserotico minha filha bota a mãoVideo de uma mulher dansando de causinha verde entrandocontos eróticos, enteadoContos eroticos de pai engravidou a filha peitudaContos gay perdi o cabaço com coroacontos eroticos acordar minha filhaconto erotico amigas chupei cunhadaamo cheirar a boceta da minha esposa pela calçaContos eróticos boca maciamensagemquentesconto casada é fudida no assalto e gosaconto erotico comendo crente fielContos eroticos incesto meu maridocontos erótico pai ficou muito bravo ao saber que seu filho é gayconto vendo cunhada casada peladinhaAluna colegial Fernanda dando a buceta pro diretorcontos minha namorada me fez corno com vizinho marrentotiraram a roupa da esposa contominhas sobrinhas conto eroticocontis eroticosadoro cupar o cuzinho da minha enteadacontos mulher e marido duas vadias para um.machocontos eroticos incesto pai encoxado filhas avo encoxado netasgay espaquete peledo pornoconto erotico madrinha e afilhadominha esposa de shortinho na obraMamadas no pau do papai contoseroticoscontos eróticos pequenos maecontos eroticos marido querendo que mulher foda com outro para ele chupar ela em seguidafodendo com desconhecido no motel contoscontos eroticos de estuprosno carnaval de ruaporno amador em festinhasparticulares"muito aberto" gay contocontos eroticos de garotinha sentada no colocontos dando banho no meu filhinho chupei o pintinho delevideos de morenas q botou atanguinha de lado e deu o raboconto erótico gay taxista manauscontos erotico dominadaSafadinho aaa uuucontos do seu jorge pegando uma casadinhacontos eroticos meu marido contratou um dominador pra me adestrarcontos reais de encoxando a maefui iniciado conto realcontos eroticos com animaisdei o cu pra varios homenscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos de casada no hospitalcontos sou o macho da minha sobrinhaContos gosaram no cuzinho virgem da minha filha Escravo de minhas cruéis donas (conto )Meu primeiro Hetero espoca hetero finalrelatos eroticos tornado femeaconto erotico mae onibus lotadocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentehttp://okinawa-ufa.ru/conto_22456_ajudei-meu-amigo-comer-o-rabinho-da-minha-mulher.htmlcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos filha de 7 com papaicontos gay o menino que era um femea escondidocontos tia gostosa com sobrinho no beijo e amasso no carrocontos eróticos de experiência bi de ninfetaswww.video.de.irma.pego.o.seu.irmao.pelado.escundido.atras.da.porta.do.quarto.dela.para.ver.ela.pelada.sem.calcinhaincesto contos suruba com minhas irmascontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos esposas na praiacontos eroticos bebadoscontos a pica do paciente